13 de novembro de 2017 Profissionais da Unidade de Saúde de Igapó participam de capacitação sobre escala de risco familiar
Por Ascom Cosems-RN

Os profissionais da Unidade de Saúde da Família (USF) de Igapó participaram nesta quinta-feira (9), da apresentação do Projeto de intervenção sobre Curso de Capacitação das Escalas de Risco Familiar (Escala de Coelho), das enfermeirandas alunas da UFRN), que aconteceu no Departamento de Enfermagem da instituição de ensino.

O projeto é uma parceria da Secretaria Municipal de Saúde com a UFRN, que foi realizado com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e enfermeiras da Unidade de Saúde da Família (USF) de Igapó.

A diretora da Unidade de Igapó, Auxiliadora Maria Galo disse “o curso tratou de uma ação de integração ensino-serviço, se constituindo em uma contrapartida dessainstituição com a Secretaria de Saúde do município de Natal. Esperamos como resultados a implementação da escala de Risco das Famílias no processo de trabalho da USF de Igapó e a capacitação dos profissionais para o uso da escala”.

A metodologia aplicada foi dividida em três etapasA primeira etapa contou com discussão da aplicabilidade, objetivos, importância e implementação da escala de Risco das Famílias (Escala de Coelho), no processo de trabalho da unidade de saúde; apresentação das experiências dos ACS da Unidade de saúde de Parque dos Coqueiros. O 2º momento, consistiu a implantação do uso da ferramenta.

O terceiro momento contou com encontro das experiências vivenciadas, resultados estatísticos relacionados às famílias classificadas, facilidades e dificuldades durante o processo de implantação da escala no processo de trabalho da unidade de saúde, avaliação final com os profissionais e perspectivas futuras para o planejamento da unidade de saúde. A ênfase sobre a escala de Risco das Famílias (Escala de Coelho) se deve por se constituir em um instrumento elaborado para estabelecer prioridades na visita domiciliar na Estratégia Saúde da Família (ESF).

Segundo Auxiliadora, a escala se baseia em sentinelas de risco, sendo algumas delas, as pessoas acamados, deficientes físicos, hipertensos, gestantes, e outras condições de saúde e sociais que são avaliadas na primeira visita domiciliar pelo ACS. “Posteriormente a escala é anexada na capa do prontuário da família permitindo a todos os profissionais da unidade de saúde ter informações sobre o núcleo familiar, estabelecendo prioridades, sistematizando a assistência e permitindo o planejamento das ações de atenção à saúde”.

projeto tem a concepção e execução das alunas curso de graduação em enfermagem com o apoio do corpo de enfermagem da UFRN, além dos profissionais da Unidade de Saúde de Igapó.

ASSESSORIA DE IMPRENSA