11 de fevereiro de 2020 Apoiadores e coordenadores da Rede Colaborativa Conasems-Cosems têm encontro em Brasília
Por Ascom Cosems-RN

 

Nesta segunda-feira (10), em Brasília/DF, antes da abertura da Oficina Nacional de Apoio à Implantação do Novo Financiamento Federal da Atenção Primária à Saúde “Previne Brasil”, o presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Wilames Freire, o vice-presidente, Charles Tocantins e o secretário executivo, Mauro Junqueira, além de presidentes de Conselhos de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e representantes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC), se reuniram com os 218 apoiadores e coordenadores da Rede Colaborativa Conasems-Cosems presentes no evento. Do Rio Grande do Norte estiveram presentes, além da presidente do Cosems, Maria Eliza Garcia, os apoiadores Alexandre Policarpo, Rosário Vieira, Nikellyne Monteiro e Alexandra Régio, coordenadora regional do Projeto Rede Colaborativa para o Fortalecimento da Gestão Municipal do SUS.

Wilames comentou sobre a possibilidade de continuidade da estratégia de apoio nos Cosems. “Os apoiadores são as cerejas do bolo do Conasems, são importantes atores para a gestão municipal, acreditamos que investimos e capacitamos os apoiadores ao longo desse tempo e que estão preparados para mais três anos de trabalho.

O secretário executivo do Conasems, Mauro Junqueira, também enfatizou que haverão mudanças nas prefeituras, nas secretarias municipais de saúde, mas que os apoiadores continuarão os mesmos e com o papel ainda mais importante de recepcionar e apoiar mais de quatro mil novos gestores que entrarão no próximo ano. “Esse é o momento de mudar a atenção básica nesse país, nunca discutimos tanto esse assunto e com tanto empenho e vocês tem um papel importante nisso, a rede colaborativa garante hoje um SUS forte e participativo que nós acreditamos, precisamos ter uma linguagem uniforme em defesa dos municípios”.

O vice-presidente do Conasems e diretor responsável pela Rede Colaborativa, Charles Tocantins, também enfatizou a necessidade da linguagem ser homogênea e da rede vibrar na mesma sintonia . “Não podemos pensar o SUS como feito e acabado, mas sim em algo em construção e a construção se faz no dia a dia”. Já Ana Paula, representante do HAOC também reiterou a importância desse projeto.”A capilaridade do trabalho permite que os apoiadores sejam a ponte que leva e traz informação de qualidade para as políticas serem pensadas e executadas de forma resolutiva”.

COM INFORMAÇÕES DO PORTAL DO CONASEMS